ANDO A VIAJAR NA MINHA TROTINETE



Na aula lemos e analisámos vários textos poéticos. Um deles foi este poema de Luísa Ducla Soares que nos fala da passagem do tempo e das diferentes fases da nossa vida.


 






A CAVALO NO TEMPO

 Ando a cavalo no tempo,
anda o tempo a galopar.
Quando nasci fui bebé,
agora sei bem falar,
hei-de ser gente crescida
com força para trabalhar,
hei-de ter como os avós
muita coisa para lembrar.
Sempre a cavalo no tempo,
com o tempo a galopar.


Luísa Ducla Soares
A Cavalo no Tempo
Civilização Editora


Depois surgiu mais um desafio para o 5º E : “ Baseando-te no poema que acabaste de estudar, imagina um outro que comece assim: “Ando a viajar na minha trotinete”.


E há sempre quem esteja disposto a dar uma voltinha… Vvvvruuummmm!


Ando a viajar na minha trotinete
para chegar a casa à hora do jantar
senão levo um castigo e não fico contente
E depois do jantar vou dormir a chorar.


Matheus Martins, nº23


Ando a viajar na minha trotinete,
Querendo o mundo conquistar.
Ainda há pouco era pequena
Agora tenho que estudar
Para no futuro trabalhar.
Quando envelhecer,
Logo se vê o que vou fazer.
Sempre a viajar na minha trotinete
Querendo o mundo conquistar.

Laura Neto, nº 17


Ando a viajar na minha trotinete
na companhia da Susete.
Vamos na estrada a rolar
a rir e a cantar,
esperando que a alegria
não venha a acabar...


Duarte Vicente, nº 9

Ando a viajar na minha trotinete,
ando sempre a viajar,
uso protecção e capacete
para não me espalhar e me magoar.
Gosto de andar
sempre a apitar.
Na minha trotinete
é bom viajar
e para sempre recordar.
Ando a viajar na minha trotinete
ando sempre a passear
para tudo recordar,
comendo um croquete
em cima da trotinete.


Ruben Nazaré, nº 26


Ando a viajar na minha trotinete
como quem navega na Internet,
sou criança como muita gente,
sou alegre , amigo,
brincalhão inteligente.

Viajo com a minha trotinete,
de manhã a subir a montanha.
A minha trotinete muito velhinha
é de cor vermelhinha.
Qualquer dia já não consegue andar
e a qualquer momento vai parar.

José Domingos Correia, nº16


Ando a viajar na minha trotinete
Anda o mundo a girar
Quando andei pelo mundo
Não parei de fotografar.
Hei-de ver todos os continentes
De norte a sul sem parar
Hei-de ter muitas coisas
Para mais tarde relembrar
Sempre a viajar na minha trotinete
Com o mundo a girar.
Francisco Duarte, nº10


Ando a viajar na minha trotinete
A correr e a brincar
Com alegria e felicidade
Para mais tarde recordar.
Um dia serei velhinha
E lembrarei a minha infância
Como viajava de trotinete
Com firmeza e elegância.

Mariana Leal, nº 22


Ando a viajar na minha trotinete
Que tem as rodas a brilhar
Com o meu capacete
Não há perigo para enfrentar.

Ir ao Algarve na minha trotinete
Que alegria e emoção!
Comer um franguinho da Guia
E acompanhar com um pão!

Com a minha trotinete
A viajar por todo o Portugal
Passei no castelo de Óbidos
E comprei um belo postal!

Gonçalo Alves, nº11

Ando a viajar na minha trotinete
Anda a minha trotinete a viajar
Com o meu lindo capacete
Não há perigo a enfrentar.
Ir na minha trotinete
É uma grande emoção
A caminho da escola
Mas antes….tomar uma refeição.
Ando a viajar na minha trotinete
Anda a minha trotinete a viajar
Para o meu dia ser melhor
A aventura vai chegar.

Diogo António Marques, nº7

Como se pode ver, com o mesmo “mote”foi possível fazer diferentes “viagens”…

Mote- pensamento expresso em um ou mais versos para ser desenvolvido na glosa.
Glosa- composição poética em que cada estrofe acaba por um dos versos do mote.



1 comentário:

Lourdes disse...

Olá, Lígia!
Também eu viajei de trotinete com os teus alunos. Se as Caldas da Rainha fossem mais perto, eu e os meus alunos iríamos de trotinete até aí
Beijinho Bom Fim de Semana
Lourdes