Mês de Abril...poemas mil

FOTO: omeumar.nireblog.com/.../files/liberdade.jpg
LIBERDADE

Ser livre é querer ir e ter um rumo
e ir sem medo,
mesmo que sejam vãos os passos.
É pensar e logo
transformar o fumo
do pensamento em braços.
É não ter não ter pão nem vinho,
só ter portas fechadas e pessoas hostis
e arrancar teimosamente do caminho
sonhos de sol
com fúrias de raiz.
É estar atado, amordaçado, em sangue, exausto
e, mesmo assim,
só de pensar gritar
gritar
e só de pensar ir
ir e chegar ao fim.

Armindo Rodrigues (Lisboa, 1904- 1993)



NÃO POSSO ADIAR O CORAÇÃO

Não posso adiar o amor
não posso
ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas

Não posso adiar este abraço
que é uma arma de dois gumes
amor e ódio

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação

Não posso adiar o coração

António Ramos Rosa ( Faro, 1924 )




5 comentários:

sbasti disse...

Prof.

Deixo aqui dois poemas, tirados de um livro chamado Pó de Estrelas, de Jorge Sousa Braga, de Astronomia para a sua colega Lourdes.
___________________________________

O COMETA

Lá vem lá vem o cometa
Tem a cauda branca
A cabeça preta.

Que não se intrometa
Na sua rota
Nenhum planeta.

E que ninguém tente
Cortar-lhe cabelo
Ou não fosse de gelo.

Nunca noiva alguma
Teve um vestido assim
Feito de espuma.

Lá vai lá vai o cometa
Tem a cauda branca
E a cabeça preta.

Se não o viste passar
Daqui a cem anos
Ele há-de voltar.
___________________________________

REFRÃO

Todas as noites
O Sol repete
O refrão:

Mercúrio
Vénus
Terra
Marte
Júpiter
Saturno
Urano
Neptuno
Plutão

Aonde estâo?

E eles respondem
Em coro:

Em conjução.

PS: Provavelmente o Márcio também lhe vai deixar alguns poemas.

Bjs. Sebastião :-)

Anónimo disse...

Muito obrigada, Sebastião! Estou precisamente a trabalhar nisso, a passar para o P.C. alguns dos poemas que os teus colegas entregaram hoje. Só que os marotos esqueceram-se de pôr o nome do autor...
Estes que mandaste agora são bem giros! Acho que a Lourdes e os seus alunos vão gostar muito.

Beijinhos e até amanhã, embora não tenhamos aula...Fico à espera dos do Márcio!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Lígia disse...

O anónimo sou eu mesma, Lígia, prof. de Português, não é? : ))

Lourdes disse...

Olá, Lígia!
Os poemas que o Sebastião aqui deixou, eu conheço, por acaso tenho o livro, Pó de Estrelas, de Sousa Braga.
Eu própria também me servi dum poema de Jorge Sousa Braga quando falei do Ano Internacional de Astronomia no meu blog.
De qualquer modo muito obrigado pela partilha.
beijinho :)))
Lourdes