17 de Fevereiro VISITA DE ESTUDO
PANTEÃO NACIONAL e
MUSEU da MÚSICA

Na passada Terça-feira, dia 17, fomos em Visita de Estudo ao Panteão Nacional e Museu da Música, em Lisboa. 45 jovens das turmas A eD do 6º ano e 4 professores uns mais jovens do que outros , mas todos cheios de jovialidade...

A manhã foi reservada para a visita ao Panteão Nacional/Igreja de Santa Engrácia







O interior da cúpula






A primitiva igreja, de dimensões reduzidas, foi fundada por ordem da Infanta D. Maria, filha de D. Manuel, para servir a paróquia e albergar as relíquias da santa. Estávamos em 1568.
A igreja foi alvo de um roubo, em 1630, e de tal viria a ser acusado um fidalgo, de seu nome Simão Solis, que por ali tinha sido visto a rondar… pois era habitual encontrar-se com Violante, uma jovem freira condenada à vida no convento, por ordem de seu pai, que não estava nada de acordo com os seus amores. Coisas de outros tempos…
Condenado à morte na fogueira, e não querendo denunciar a sua amada, no momento em que já o fogo queimava o seu corpo, Simão gritou que era tão certo morrer inocente como as obras da igreja nunca mais acabarem… (E assim foi…)

O altar e o órgão


Mais tarde, o verdadeiro ladrão confessou o seu crime e pediu perdão a Violante que lho concedeu.
Quanto à igreja, acabaria por ruir por duas vezes, tendo passado por sucessivas obras de reedificação que se foram prolongando no tempo, levando a que ainda hoje se diga de qualquer processo muito demorado que “parecem as obras de Santa Engrácia…”.
A igreja adquire o estatuto de Panteão Nacional em 1916 e é considerado uma das mais belas representações do nosso barroco.

O Panteão acolhe os túmulos de vários presidentes da República e de escritores, nomeadamente: Manuel de Arriaga, Almeida Garrett, João de Deus, Teófilo Braga, Guerra Junqueiro, Sidónio Pais, Óscar Carmona e Aquilino Ribeiro, o último a ser sepultado no Panteão, em Setembro de 2007. As excepções são Amália Rodrigues e Humberto Delgado.

Como Panteão, a igreja acolhe ainda os cenotáfios de figuras da História de Portugal, tais como: Vasco da Gama, Infante D. Henrique, Nuno Álvares Pereira, Luís de Camões, Afonso de Albuquerque e Pedro Álvares Cabral.


Um plano picado( B.D.)







O chão de mármore colorido


Esta visita foi deveras interessante e os alunos foram muito elogiados pelos seus vastos conhecimentos, particularmente de História. Um deles recebeu mesmo um convite para "assistente" da nossa guia...

E após este "banho" de cultura, seguimos para o Parque da Nações, para o nosso piquenique que a fome já apertava...

Da parte da tarde esperava-nos outra boa surpresa - o Museu da Música! Mas isso fica para outro dia que agora já é bem tarde...


Só uma perguntinha para os mais atentos: alguém se lembra do que é um cenotáfio? Vou ficar à espera de uma resposta...

7 comentários:

Lourdes disse...

Pois, já tinha passado por aqui e não tinha deixado comentário. O tempo, esse maldito tempo, que corre mais do que nós.
Ao ver e ler sobre a vossa visita de estudo ao Panteão fez-me pensar que já nem me lembro da última vez que eu fui ao Panteão, quanto mais perto se está das coisas por vezes menos as vemos, a vossa ída serviu-me de aliciante para ir até lá
beijinho Lourdes

sbasti disse...

Olá professora, agora já consigo ver a parte do Panteão Nacional.

A propósito, o cenotáfio é umo pequeno memorial a uma certa pessoa, cujo o local de enterro é noutro lugar ou desconhecido.

:-))

Inês 6ªD Nº8 disse...

ola professora, eu sei o que é um cenotáfio.
Um cenotáfio é um tumúlo que se encontra vazio porque o corpo de quem lá estava dentro foi roubado ou desapareceu.
adeus professora, até amanhã.

Nuno disse...

nuno 6ºD disse:

Centáfio é um túmulo sem ninguém lá dentor.

tania barros disse...

oi professora tudo bem e a tania ja agora vou dizer o cenotafio e um tumulo onde o corpo dessa pessoa nao esta dentro do mesmo mas sim noutro lugar .
tabem serve para homanigiar essa pessoa bom acho por agora ja disse tudo beijinhos grandes tania do 6ºd

Lígia disse...

Olá a todos! Não sei por onde andaram a passear alguns dos comentários que só agora dei por eles...Não estavam no meu mail. Será que foram passear ao Panteão?

Respostas correctas, gente atenta... e culta! Muito bem! Menos bem estes erros que também andam aqui a passear...hum! hum!

Beijinhos e bom fim-de-semana!

Sebastião disse...

Realmente são muitos os erros gramaticais que existem nestes comentários. Qualquer dia, em vez de dizerem «O meu teste foi óptimo» dizem «U meu texte foi otimo».

Adeus e até amanhã (se ainda receber a mensagem hoje ou amanhã).